segunda-feira, 13 de abril de 2015

Sobre mais um outono vivido

Hoje não quero escrever muito, vou apenas ser um pouco narcisista e admirar o espelho que vejo em minha frente.
Fui sempre a "estranha" inclusive na família que nasci, eu simplesmente não me encaixava, olhares desconfiados, comentários do tipo:
- sei não, essa menina é muito calada
- que menina sonsa
- você é muito séria
E talvez a frase que mais ouvi em toda minha vida
- você é diferente, estranha...
Sabe de uma coisa, nunca me importei, não sou o tipo de pessoa que se importa com a opinião alheia ao meu respeito, se falam bem, se falam mal, se falam...
Não ligo, sou assim, alguém que normalmente não se encaixa ou se mistura e tenho momentos felizes, outros tristes, como qualquer pessoa normal, a diferença é que o meu silêncio sempre incomodou os mais próximos, ao ponto de se assustarem ao ouvir minha risada, ao verem uma ou outra lágrima que as vezes escapa.
 Hoje sou mais tranquila do que antes, mais segura e mais feliz na medida do possível, costumava pensar que morreria jovem, na casa dos vinte, talvez fosse medo de envelhecer, mas como completo mais um outono neste 13 de abril, quero viver muito, muito mesmo e continuar despertando a curiosidade de muitas pessoas com o meu silêncio...
Sei que é um texto um pouco sombrio para aniversário mas acreditem, sou assim, esse é o lodo que as vezes vem a tona, mas normalmente sou rosa. Sou um rio sem foz e sem começo como escreveu Ferreira Gullar

Para quebrar a seriedade da postagem devo comentar que uma lagartixa quase caiu na minha cabeça quando fui abrir a porta, enquanto eu gritava ela balançava a cauda e me encarava.
  

P.s. Hoje é o dia mundial do beijo ^~




2 comentários:

  1. Bom dia querida Carol.. são muitos os que falam de nós.. que reparam em tudo como se neles tudo fosse perfeitinho.. da familia ouvimos muitas coisas...
    tb passei coisas assim.. ficava mais no meu canto escrevendo, e minha mãe com manias de doença pra ela eu era o depressivo.. queria até me levar na psicologa quando tinha lá meus 20 aninhos...
    todos temos nosso jeito.. e isso nos conforta, alguns são do agito outros da calmaria..
    que vivêncie muitos outonos ainda pois há muita vida na senhorita...
    és uma guria especial... beijos meus e até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Samuel, as pessoas falam muito...
      Bjão poeta

      Excluir