segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Adieu 2014

O ano de 2014 foi calmo, aconteceram algumas coisas chatas mas que superei.
Este ano que passou foi de crescimento interior, me reconheço mais dentro da minha pele, meus gostos pessoais que estavam escondidos por receio ou até mesmo insegurança afloraram. Agora não tenho mais medo de dizer eu gosto, eu uso, eu leio, eu compro.
Estava lendo minha lista de metas do ano passado e ri ao ver que só cumpri o último item, e isso não me afetou ou diminuiu como ser humano, algumas coisas não cabem mais como prioridade e fiquei bastante satisfeita com a mudança de objetivos, significa que continuo buscando algo, que não parei de sonhar e de fazer planos.

Tenho que agradecer por tudo que tenho, por minhas filhas saudáveis, inteligentes e felizes. Me sinto privilegiada por ser mãe de duas pessoas tão incríveis, por ter minha mãe tão perto, e por ser ela uma pessoa dinâmica, alegre e por sermos tão amigas.
Agradeço pelo privilegio de cuidar da educação das minhas filhas pessoalmente, sem recursos de babás, escolinhas de tempo integral ou parentes, é um aprendizado e troca tão intenso que me sinto afortunada por essa possibilidade, quem é mãe sabe que nos dias de hoje isso é difícil por vários fatores.
Sou grata por minha saúde física e mental, pela minha capacidade de aprender e entender o mundo como um todo e não apenas um lugar habitável, por olhar, tocar, absorver tudo que a natureza me oferece e por ter conquistado especialmente esse ano uma boa bagagem cultural.

Agradeço pelos dias vividos, por ter derramado tão poucas lágrimas, mesmo que este ano tenha sido um ano de grandes perdas tanto de artistas quanto de escritores.
Aprendi finalmente a dizer não as lojas e suas ofertas sedutoras e isso foi libertador, meu jeito reservado tem se abrandado e já consigo dizer bom dia ou boa tarde sem suar as mãos e isso é incrível.
Das metas que coloquei no ano de 2013 a única cumprida foi a de leitura comprei muitos livros esse ano e li bastante, a estante tem crescido, infelizmente a reforma da casa continua parada, só mexi mesmo no encanamento, casa antiga dá trabalho e a que comprei é antiguinha, mas aos poucos vou ajeitando quem sabe ano que vem...
Não consegui iniciar a alfabetização da Bruna como planejava, mas todas as noites leio cerca de cinco histórias para ela que por sua vez tem tomado gosto pela leitura, já sabe as histórias de cor e sua favorita é Pinóquio, acho que estou formando mais uma leitora, já fiz a matrícula dela em uma escolinha que fica na mesma rua em que eu moro, e confesso que estou um pouco nervosa em deixar minha menininha longe de mim mesmo que seja em um período normal de aulas, a Isabela também tem lido, menos do que o costume, mas o importante é que ela frequenta a biblioteca da escola e já é bem conhecida pela bibliotecária, também me perguntou sobre algumas profissões.

Reencontrei minha amiga da infância e se não surgir nenhum imprevisto nos veremos em breve, fazem 14 anos que não nos vemos, muita coisa mudou mas continuamos amigas, estou com um frio na barriga pois faz tempo que não conversamos, estou muito feliz e ansiosa com o nosso reencontro.
Assisti poucos filmes esse ano, conheci algumas bandas interessantes e me aprofundei mais nas músicas contemporâneas francesas e estou gostando muito. Continuo assistindo as mesmas séries do ano passado, e estou vendo também Guilmore Girls e recomendo para quem gosta de humor rápido e livros. 
Vou continuar com isso de lista pois gosto, quem sabe eu consiga cumprir um pouco mais este ano, mas se não, sem problemas pretendo viver um dia de cada vez, sem neura, sem pressa. Apenas viver...  

Lista antiga        
Lista de coisas que quero realizar em 2014
- Estudar, mesmo que seja cursos de aperfeiçoamento
- Prestar concursos
- Continuar com a reforma ( isto dá uma postagem independente)
- Talvez voltar a trabalhar fora, sim porque trabalho muito em casa
- Começar a alfabetização da Bruna, antes de matricular em uma escola
- Perder peso e praticar algum esporte, começo em janeiro
- Sair mais, porque esse ano só fiz programa família 
- Comprar mais livros, tenho alguns em mente

Lista para 2015
- Fazer outra Graduação
- Continuar com a reforma da casa
- Perder peso e praticar esporte
- Adquirir mais livros

Tchau o/







        

domingo, 28 de dezembro de 2014

Gafes na livraria - Livros, Rauzito e eu...

Olá leitores do meu bloguinho
Tudo bem?

Eu não poderia terminar 2014 sem cometer mais uma gafe, sou assim tão charmosa quanto um um dálmata lendo um jornal, comparação infame, eu sei, mas vamos a minha mais recente situação trágica.
Minha amada cidade tem poucas livrarias e só duas tem coisas interessantes e dessas duas somente uma tem atendentes legais que te deixa paquerar os livros sem ficar perguntando: Já foi atendida?
Deseja alguma coisa? Pois bem estava eu tranquilamente me decidindo entre Lygia Fagundes Telles e Jorge Amado quando um atendente, (diga-se de passagem o mais bacana) vem em minha direção sorrindo e pergunta se já fui atendida, eu sorrindo respondo que estou bem, mas ele passa direto e ao olhar para trás percebo uma senhora olhando alguns livros e o pior ele estava falando com ela, sei lá de repente desejei que o chão se abrisse ou que eu me teletransportasse do lugar, não sei o que deu em mim, talvez seja culpa do Raul Seixas, estavam tocando Maluco Beleza na hora e eu meio que encarnei o papel, maluca da livraria seria o título, e para piorar meu vexame ele volta com um sorrisinho educado e me diz: e você precisa de alguma coisa? Só faltou me dar um tapinha nas costas. Sim moço preciso de um De Lorean, quero voltar no tempo e ficar quieta na hora em que a maldita mulher fica lá parada igual a um poste chamando a atenção do atendente solícito, e ela nem levou nada. No final das contas mandei Jorge Amado e Lygia Fagundes Telles para o inferno digo prateleira e sai de fininho...
Sei que foi algo banal, mas na minha cabeça imagino todos os vendedores rindo e cochichando quando eu voltar, se eu voltar, e eu gosto de ir na livraria mas por enquanto vou evitar, vou dar um tempo até eu conseguir esquecer...



sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Eu e as estrelas

Abri minha janela
Algo me chamava, olhei e nada achei
Não contente destranquei a porta e desci alguns degraus.
O som ficava forte, na medida em que me aproximava
Ao levantar os olhos, vi claramente milhares de pontinhos no céu
Eram inúmeras estrelas que brilhavam destemidas em um lindo acolchoado azul escuro
Quis trazer para dentro, o céu e as estrelas
Mas quando entrava o som aos poucos se aquietava e meu coração ficava pequenino
Compreendi que o lugar delas era fora
E o meu também
Que quanto mais silenciosa a madrugada mais brilho irradiava
E meu coração se inflamou no peito
Como se mil tochas fossem acesas de uma só vez
E a cada brilho de uma estrela uma recordação surgia
O tempo e o espaço se confundiram
Ora eu era menina brincando de contar estrelas, apontando o dedo e dançando sob seu brilho
Mas no mesmo instante me vi enamorada de mãos dadas fazendo juras de amor
E o tempo se perdeu na imensidão azul...
Fechei meus olhos e me deixei levar, como um barquinho perdido no oceano
E as estrelas se tornaram minha bússola 
Ora para o norte
Vezes ao sul
Sempre navegando na imensidão do céu azul escuro
Na imensidão pontilhada, perdendo-me nas lembranças
Um dia eu e tu
Hoje eu e as estrelas
Sem chronos ou kairós 
Apenas eu sem tu
Somente eu e as estrelas   




terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Eu e os livros - leituras de 2014

Este ano que está acabando foi um bom ano para leituras, li de forma tranquila absorvendo as histórias, pesquisando e com isso adquirindo mais conhecimento.
Através das leituras conheci mais histórias relacionadas a Romeu e Julieta sob a visão de Anne Fortier e aprendi um pouco mais sobre a cultura italiana, me deparei com o fervor da Guerra Civil de 1861 que me motivou a pesquisar sobre o assunto e me permitiu fazer um comparativo entre os romances de Jane Austen a qual não se foca na escravidão e o romance E o Vento Levou em que ter escravos era algo comum, me diverti com a imaginação da heroína Catherina Morland e sua predileção aos romances advindos do movimento gótico assim como suas buscas por mistério na Abadia de Northanger. Vibrei com Harry Potter e suas conquistas e descobertas e também com Kylie Galen no acampamento para jovens sobrenaturais chamado Acampamento Shadow Falls. Desvendei mistérios com Miss Marple  criada por Agatha Christie e encontramos Um Corpo na Biblioteca, assim como me aventurei na imaginação de Poe em suas Histórias Extraordinárias, conheci sobre A linguagem do corpo com Cristina Cairo e me surpreendi com o tema do Adeus por Enquanto que faz um comparativo entre o que é real e ilusório nas redes sociais. Vibrei com Anna e o Beijo Francês e confesso ter sentido uma quedinha por Étienne, voltei no passado ao ler as aventuras de Nikki em seu Diário de Uma Garota Nada Popular.
Senti toda a delicadeza de Florbela Espanca ao ler seu Livro de mágoas, e me emocionei com Daniele Steel em Um Longo Caminho Para Casa, A Menina Submersa trouxe em pouco de suspense nas minhas noites e Os Diários de Anne Frank me deu outra perspectiva em relação a Segunda Guerra Mundial. Com As 100 Melhores Lendas do Folclore Brasileiro compreendi muitos ditos populares.
Em Belas Maldições, As belas e precisas profecias de Agnes Nutter, bruxa  pude ver o bem e o mal com outros olhos e me divertir com a descrição de anjos e demônios no livro, pude também me encantar com a escrita inteligente de Lygia Fagundes Telles em seu livro As Meninas e por último mas não menos importante voltei a minha infância com a guerreira Sailor Moon em suas aventuras manganísticas...
Bem estes foram os livros lidos em 2014, abaixo tem os que adquiri.



Tchau o/


        

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Novembro foi assim...

Comprei esses dois livros


... e este vestido com margaridas






Comprei essa pulseira cheia de borboletas ^^ 

Paguei 15,00 nesse livro, em uma promoção  \o/ (o mesmo da primeira foto) 


Tchau o/  



terça-feira, 16 de dezembro de 2014

5 pratos para quebrar em 2014


Olá leitores, como vão?
Hoje a postagem faz parte do Rotaroots, temos 6 alternativas de memes e blogagens coletivas, e um projeto fotográfico, hoje decidi postar um meme com o tema 5 pratos para quebrar em 2014, vamos as vias de fato?





Sedentarismo
Este ano estou de parabéns, estive mais sedentária do que nunca, e isso ta me incomodando e o pior é que tenho resultados palpáveis se é que me entendem, vou quebrar o prato ou melhor, arremessar para bem
longe, exercício físico já! E não é só pela estética, venho de uma família de diabéticos e quero eliminar as chances dos genes se manifestarem...    

Pessoas negativas/interesseiras
Algumas pessoas te acrescentam tantas coisas boas, são tão positivas já outras são dementadores por ofício, quebro o prato para os interesseiros ou negativistas, algo que procuro fazer sempre é me cercar de
pessoas boas, boazinhas não, mas aquelas que nos deixam leves, felizes e mesmo quando nos puxam a orelha não nos machucam, mas acrescentam, então quebro o prato para quem faz o contrário disso!


Grosseria
Isso me incomoda mais do que roupa apertada na cintura, infelizmente esse ano passei por situações assim, e por motivos banais, de atendente de lotérica à parentes, e isso me dá nos nervos, pessoas aprendam:
Gentileza gera gentileza...

Vizinhos
Os meus foram aprovados com louvor no quesito "sem noção", vi de tudo na minha rua este ano, brigas de marido e mulher, som alto, intromissão na vida alheia, queria eu quebrar o prato na cabeça dos mesmos, mas como não posso quebro por aqui.
 


Self
Nada contra que faz, eu faço, tu fazes... Mas tá exagerado, pelo menos os meus contatos estão enlouquecendo, é self de comida, passeio, dormindo, até de casal no rala e rola eu vi... Na maior cara lisa, e
o pessoal nem edita para enquadrar direitinho, o que vi de braço espichado e axilas daria um livro, de horror!
 Não sei qual é o protocolo a ser seguido com braço ou sem braço de biquinho ou mostrando a língua, não importa, o fato é que isso me faz revirar os olhos e praguejar diante do computador, menos self eu imploro.

O Rotaroots tem o objetivo de resgatar a época de ouro dos blogs pessoais, incentivando a produção de conteúdo criativo e autoral, sem ser clichê e principalmente, sem regras, blogando pela diversão e pelo amor. Via Rotaroots


E vocês, muitos pratos para quebrar?
Tchau o/


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Última quimera

Dorme em meu peito a dor da saudade
De luzes errantes, estradas vazias
As tormentas do corpo em estado de graça
Repousado em lembranças que outrora sentiu
Do anseio tristonho que guardo comigo
Na esperança que o tempo trouxesse guarita
Na tepidez da alma tão triste, vazia
Conduzo minha dor com graça gentil
Ardendo nos sonhos de tempos vividos
Do cavalheiro tão doce que versejava baixinho
Juras de um amor tão pueril
Nos becos da alma as lembranças ardem
Dos sonhos perdidos nos dias febris
Do tempo em que o peito
Suave arfava, nas juras de amor dos lábios juvenis
Tem pena de mim, que vivo as angustias
De tempos roubados por dores senis
Que chora no leito ao cair da aurora
Que treme os lábios
Com orações infantis
Outrora amaste os suaves beijos
Deixados por lábios no teu rosto gentil
Agora desprezas a prece que rogo
Tem pena de mim, tem pena de mim
As mãos tão mimosas que um dia tocastes
Encontram-se suaves como os mais caros cetins
Os beijos de amor que por ti foram roubados
Murcharam de dor com a cor carmesim
Se almenos soubesses da tristeza que vivo
As angustias da saudade que deixaste quando partiu
Virias correndo sepultar sua amada
Que de amores chorando partiu
A última quimera matou sua donzela
Ao céu subiu, ao céu subiu





  Poesia inspirada no poema Sonhando do livro Lira dos Vinte Anos, de Álvares de Azevedo 


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Literatura Brasileira: 100 livros essenciais - O Desafio

Olá leitores, como já comentei por aqui acompanho alguns canais literários, entre eles o da Tatiana Feltrin é um dos meus favoritos, hoje dando uma olhada por lá encontrei uma publicação de 9 de junho deste ano em que ela lançava um desafio literário, e como um dos meus objetivos de vida é ler mais autores brasileiros resolvi aderir e fazer por aqui também.
O desafio está bem explicado no link que vou deixar no fim da postagem, não vou estipular data para terminar mas vou tentar encaixar um título por vez nas minhas leituras mensais, os livros lidos colocarei em negrito.

Vamos a lista?


100 livros essenciais - O Desafio
Adélia Prado: Bagagem
Aluísio Azevedo: O Cortiço
Álvares de Azevedo: Lira dos Vinte Anos Noite na Taverna
Antonio Callado: Quarup
Antônio de Alcântara Machado: Brás, Bexiga e Barra Funda
Ariano Suassuna: Romance d'A Pedra do Reino
Augusto de Campos: Viva Vaia
Augusto dos Anjos: Eu
Autran Dourado: Ópera dos Mortos
Basílio da Gama: O Uraguai
Bernando Élis: O Tronco
Bernando Guimarães: A Escrava Isaura
Caio Fernando Abreu: Morangos Mofados
Carlos Drummond de Andrade: A Rosa do Povo Claro Enigma
Castro Alves: Os Escravos Espumas Flutuantes
Cecília Meireles: Romanceiro da Inconfidência Mar Absoluto
Clarice Lispector: A Paixão Segundo G.H. Laços de Família
Cruz e Souza: Broquéis
Dalton Trevisan: O Vampiro de Curitiba
Dias Gomes: O Pagador de Promessas
Dyonélio Machado: Os Ratos
Erico Verissimo: O Tempo e o Vento
Euclides da Cunha: Os Sertões
Fernando Gabeira: O que é Isso, Companheiro?
Fernando Sabino: O Encontro Marcado
Ferreira Gullar: Poema Sujo
Gonçalves Dias: I-Juca Pirama
Graça Aranha: Canaã
Graciliano Ramos: Vidas Secas São Bernardo
Gregório de Matos: Obra Poética
Guimarães Rosa: O Grande Sertão: Veredas Sagarana
Haroldo de Campos: Galáxias
Hilda Hilst: A Obscena Senhora D
Ignágio de Loyola Brandão: Zero
João Antônio: Malagueta, Perus e Bacanaço
João Cabral de Melo Neto: Morte e Vida Severina
João do Rio:A Alma Encantadora das Ruas
João Gilberto Noll: Harmada
João Simões Lopes Neto: Contos Gauchescos
João Ubaldo Ribeiro: Viva o Povo Brasileiro
Joaquim Manuel de Macedo: A Moreninha
Jorge Amado: Gabriela, Cravo e Canela Terras do Sem Fim
Jorge de Lima: Invenção de Orfeu
José Cândido de Carvalho: O Coronel e o Lobisomen
José de Alencar: O Guarani Lucíola
José J. Veiga: Os Cavalinhos de Platiplanto
José Lins do Rego: Fogo Morto
Lima Barreto: Triste Fim de Policarpo Quaresma
Lúcio Cardoso: Crônica da Casa Assassinada
Luis Fernando Verissimo: O Analista de Bagé
Luiz Vilela: Tremor de Terra
Lygia Fagundes Telles: As Meninas Seminário dos Ratos
Machado de Assis: Memórias Póstumas de Brás Cubas Dom Casmurro
Manuel Antônio de Almeida: Memórias de um Sargento de Milícias
Manuel Bandeira: Libertinagem Estrela da Manhã
Márcio Souza: Galvez, Imperador do Acre
Mário de Andrade: Macunaíma; Paulicéia Desvairada
Mário Faustino: o Homem e Sua Hora
Mário Quintana: Nova Antologia Poética
Marques Rebelo: A Estrela Sobe
Menotti Del Picchia: Juca Mulato
Monteiro Lobato: O Sítio do Pica-pau Amarelo
Murilo Mendes: As Metamorfoses
Murilo Rubião: O Ex-Mágico
Nelson Rodrigues: Vestido de Noiva A Vida Como Ela É
Olavo Bilac: Poesias
Osman Lins: Avalovara
Oswald de Andrade: Serafim Ponte Grande Memórias Sentimentais de João Miramar
Otto Lara Resende: O Braço Direito
Padre Antônio Vieira: Sermões
Paulo Leminski: Catatau
Pedro Nava: Baú de Ossos
Plínio Marcos: Navalha de Carne
Rachel de Queiroz: O Quinze
Raduan Nassar: Lavoura Arcaica Um Copo de Cólera
Raul Pompéia: O Ateneu
Rubem Braga: 200 Crônicas Escolhidas
Rubem Fonseca: A Coleira do Cão
Sérgio Sant'Anna: A Senhorita Simpson
Stanislaw Ponte Preta: Febeapá
Tomás Antônio Gonzaga: Marília de Dirceu Cartas Chilenas
Vinícius de Moraes: Nova Antologia Poética
Visconde de Taunay: Inocência

Então é isso leitores, espero conseguir ler todos.
  Tchau o/
                                                     
 Link do desafio: https://www.youtube.com/watch?v=-_JDSPN97Mo





quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Romances de banca, ler ou não ler, eis a questão

Olá leitores do meu bloguinho, como vão?
Hoje eu trago mais uma questão saudável para ser debatida ou lida: Romances de banca.
Lembram, já ouviram falar ou leram? Eu sim, muitos na verdade, minha pré-adolescência, adolescência e início de vida adulta foi acompanhada por essa leitura muitas vezes discriminada, injustamente diga-se de passagem, não vou fazer uma análise crítica pois não é esse o meu foco, mas quero fazer você, meu caro leitor, refletir sobre o assunto e se existir algum preconceito, se desfazer dele.

Imagem retirada do blog Livros e Opinião
 (http://www.livroseopiniao.com.br/2013/02/sabrina-julia-e-bianca-os-famosos.html)

Romances de banca são livros escritos na sua maioria por autoras desconhecidas, ainda não li nenhum exemplar escrito por homem, com exceção de Nicholas Sparks que na minha visão de leitora se encaixa perfeitamente nessa linha literária, e pelamordecristo não estou sendo preconceituosa pois tenho um livro dele na minha estante e amo tanto o filme quanto o livro, ganha um doce quem adivinhar o título...
Voltando ao assunto esses livros seguem uma linha específica em relação ao enredo e final que é sempre feliz, a maioria tem as cenas de amor entre o casal descritas detalhadamente se é que me entendem, o mocinho é sempre rico e algumas vezes um cafajeste ou solitário, as mocinhas lindas, perfeitas e indefesas, algumas não tão indefesas mas sempre são lindas, e as capas tem esse padrão da imagem acima. São quatro títulos mais conhecidos: Sabrina, Bianca, Julia e Barbara sendo esse último histórico.


De acordo com algumas pesquisas que fiz, a série Sabrina iniciou em 1977 com o título Passaporte do amor, fez tanto sucesso nas terras Tupiniquins que em 1978 foi a vez da série Júlia e em 1979 Bianca, Barbara por ser escrito pela autora inglesa Barbara Cartland não se enquadra nessas séries mas os livros ficaram populares por aqui e também eram vendidos em bancas de jornais por isso o inclui nesse gênero literário.
Existe um preconceito escancarado quando alguém afirma ler esses romances, que considerados literatura de baixa qualidade.
Bom em primeiro lugar livros ruins encontramos em todos os gêneros.
Segundo, gosto literário é subjetivo, o que é bom para você eu posso detestar por exemplo.
E por último mas não menos importante, leitura é questão de gosto, tirando as leituras obrigatórias para formação acadêmica ou formação técnica, todos temos o direito de ler o que nos agrada, isso se chama liberdade.

Falando por experiência própria vivi momentos incríveis lendo esses romances, possui coleções, sonhei, chorei e sorri com as histórias descritas nos livros, meus títulos favoritos são os das décadas de 70 e 80, e essas leituras não tiraram nada da minha formação literária, não me fizeram melhor ou pior como pessoa, fizeram o que todo livro chocolate faz, satisfazer minha necessidade do momento me fazendo feliz.
Eu poderia fazer uma lista de livros que considero chocolate, alguns considerados livros modinha atualmente, livro chocolate foi uma denominação que apelidei enquanto fazia minha graduação e estava enlouquecendo, perdida em meio a tantos artigos científicos, chatos e intermináveis, meu TCC foi sobre Fitoterápicos e um dia conversando com minha colega de classe eu brinquei e falei que queria férias para voltar a ler meus livros chocolate...   

Existem algumas pessoinhas do mal que adoram apontar o dedo e criticar quem lê romances de banca, como se ler um livro fosse certificado de cult, inteligente ou conectado com a moda, ler é algo natural na minha opinião, não confere status ou superioridade, óbvio que o leitor terá mais argumentos em uma conversa ou ao escrever, mas tem gente que gosta e tem gente que não gosta e pronto.
Eu como alguém que aprecia a literatura seja ela clássica ou Y.A. por ex não vejo motivos para alguém se sentir inferior intelectualmente por fazer essas leituras, tem gente que só lê romance de banca e daí? Outros os leem em algumas fases, outros tentam um e não gostam, algumas pessoas passam longe...
Só não acho coerente criticar as leituras alheias, principalmente se é um leitor a pessoa que está fazendo a crítica, pior , tem gente que só critica pela fama, credo fulana lê Sabrina, e acaba lendo um ou outro livro que se encaixaria perfeitamente nessa linha de romances sem saber... 
Então, você que me lê agora aposto que conhece alguém que leu ou ainda lê esses romances, ou até mesmo você já tenha lido, conheço alguns acadêmicos que se deliciam até hoje com essas leituras e nem por isso são desqualificados para discutir sobre livros ou literatura. Espero ter quebrado um pouco do preconceito que por ventura você possa ter tido até aqui. 

Um abraço o/



Links que pesquisei e achei interessante:
Sobre Barbara Cartland:

 Sobre romances de banca: 

Link para ler ou baixar Romances de banca







    



domingo, 30 de novembro de 2014

Post da madruga...

As vezes acontecem coisas bacanas na life outras vezes o marasmo aparece, o tédio entra sem pedir licença e se instala no sofá exigindo cafezinho e companhia...
Ai a vontade de postar vai para o brejo e você se senta diante do computador com sua insônia amiga de tanto tempo e se põe a escrever um texto ordinário, sentindo uma dor chata no ombro direito, lá fora a chuva ta fininha, aconchegante, e você continua entediada, se pelo menos aparecesse um dinossauro no meio da sala para dar uma sacudida nas coisas, talvez até ele e eu dançássemos um musical...
Então você lê muitos blogs fodasticos, com pessoas fodasticas, e com suas vidas mais fodasticas ainda (avisei que o texto seria ordinário) e você olha para o seu bloguinho e se lembra dos papéis de carta, colecionei muitos, três pastas recheadas que fazia invejanasamiga e percebe que você não é fodastica adorei escrever essa palavra, que você é comum, com uma vida comum, com aspirações tranquilas tipo uma casinha no campo, de preferência perto de um rio algo meio Thoreau, que você não é muito diferente da adolescente confusa e insegura de tempos atrás, apenas esta mais discreta e não escancara seus medos e desejos.
Ai você olha para o seu blog estilo papel de carta e pensa: não sou aquela coca-cola toda, mas tem um lado bom em ser assim papel de carta, podemos escrever textos ordinários as vezes sem nos importarmos com o que vão pensar. Quando se chega nesse estágio da sabedoria, em ser você mesmo, a vida se torna mais leve nos damos um desconto e escrevemos a palavra fodastica em um post...  

P.S. Conheçam Thoreau, vale a pena. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Henry_David_Thoreau)




segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Leituras de setembro e outubro

Um corpo na biblioteca
Miss Jane Marple, uma adorável velhinha que entre suas atividades gosta de resolver mistérios tem um em suas mãos, quando o corpo de uma jovem loura é encontrado na biblioteca do Coronel Bantry um respeitável cidadão.
Miss Marple recebe um telefonema e é convidada a participar das investigações pela esposa do coronel, a Sra. Dolly.
Como se trata de um mistério escrito por Agatha Chistie, não se pode dar muita informação ao falar do livro, mas no prefácio do livro escrito pela própria autora ela escreve: "Há certos chavões que pertencem a determinados tipos de ficção. O mau e ousado baronete no melodrama, o corpo na biblioteca na ficção policial. Durante muitos anos estudei a possibilidade de uma adequada variação do conhecido tema. Propus-me certas condições. A biblioteca em questão deveria ser uma biblioteca altamente ortodoxa e convencional. O cadáver, de outro lado deveria ser um corpo extravagantemente fantástico e extremamente sensacional. (...) 
Assim um senhor idoso e paralítico tornou-se o pivô da história. O coronel e a Sra. Bantry, amigos íntimos de minha Miss Marple, tinham apenas a espécie de biblioteca que eu queria. À maneira de uma receita culinária apresentem-se os seguintes ingredientes: um instrutor de tênis, uma jovem dançarina, um artista, uma jovem guia, uma recepcionista de um salão de dança etc., e sirvam-se a lá Miss Marple"!
                                                                                                              Agatha Christie  




Um longo caminho para casa
Gabriella Harrison é uma linda criança loura, pequena, com olhos azuis e que lembra uma fada, mas sua vida não é fácil, mesmo sendo filha única de um casal rico e com muito prestígio, a criança é vítima da perversidade de sua mãe e da omissão do pai.
Mas Gabriella é forte, ela sempre escuta isso apesar de não acreditar no que escuta e em meio a muita dor, sofrimento e abandono a jovem encontra um caminho para trilhar, descobre seu talento como escritora e faz amizades verdadeiras em sua caminhada.
Este é um romance delicado e triste mas que mostra o valor de um amigo verdadeiro e o preço que se paga por ser ingênua.


 Livro de mágoas 
Livro de Mágoas é o primeiro livro de Florbela Espanca, editado em 1919. A edição é da responsabilidade de Raul Proença a quem a autora envia os primeiros poemas em 1916, numa colectânea a que chamou «Trocando Olhares».

A obra abre com epígrafe a Eugénio de Castro e Verlaine e Florbela dedica-a ao seu pai, que considera o seu melhor amigo, e à sua alma irmã - o seu irmão.

Florbela centra-se, ao longo de 32 sonetos, na temática da mágoa, da dor e da saudade. "Estabelece um espaço poético único, que deseja como espaço de comunicação entre tristes e magoados" (CITI).




Vaidade

Sonho que sou a poetisa eleita
Aquela que diz tudo e tudo sabe
Que tem a inspiração pura e perfeita
Que reúne num verso a imensidade

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto eu vou voando
Acordo do meu sonho... e não sou nada...

Florbela Espanca








 

domingo, 23 de novembro de 2014

Li até a página 100 e...

Olá leitores finalmente iniciei a leitura do livro E o vento levou, e como cheguei na página 100 vou colocar algumas considerações sobre o livro, estava lendo o blog da Graziela Loti e lá encontrei uma Tag bacaninha com o título Li até a página 100 e... aqui no blog vou colocar não como Tag mas como uma postagem fixa, ou seja futuramente trarei mais postagens com esse título, também mudei um pouco as perguntas pode isso produção? mas se quiserem conferir na íntegra a Tag visitem o blog da Graziela, garanto que não irão se arrepender. No final da postagem deixarei o link do blog que é muito interessante. Bom, vamos as vias de fato.


Título: E o vento levou     Autora: Margaret Mitchell

Primeira frase da primeira página: Scarlet O'Hara não era linda, mas os homens raramente se davam conta disso enredados por seu encanto.

Do que se trata o livro? A história se passa no ano de 1861, no Sul dos Estados Unidos, sob o pano de fundo da sangrenta Guerra Civil norte-americana, em uma fazenda na Georgia, chamada Tara onde reside Scarlet O'Hara, jovem, bela e mimada que se transformará em uma mulher prática e forte, passando por cima de tudo e todos para realizar o que deseja.

O que está achando até agora? Estou surpresa e encantada, é um romance que conta com muito orgulho as raízes e tradições norte-americanas, sem contar que é muito diferente da literatura inglesa, começando pela questão de ter e comercializar escravos, algo que me incomodou mas prendeu minha atenção, o livro é bem detalhado mostrando a história dos pais de Scarlet e como a fazenda Tara foi adquirida e construída. 

O que está achando da personagem principal? Até o momento muito ingênua e sonhadora, a moça tem apenas 16 anos e é muito protegida e mimada, mas como é o primeiro livro e como vi o filme sei que a personagem vai crescer muito.

Melhor Quote até agora: "Estou cansada de dizer como você é maravilhoso a tolos que não tem a metade da inteligência que eu tenho, e estou cansada de fingir que nada sei, só para que os homens possam me chamar do que quiserem e se sentirem importantes"...

Vai continuar lendo? Com certeza e logo trarei minhas considerações do segundo livro

Ultima frase da primeira página: As boas maneiras lhe haviam sido impostas pelas gentis repreensões maternas e pela disciplina mais severa de sua babá negra, Mammy.

Ultima frase da página 100: "Mas é uma pena, pois não há filhos fazendeiros suficientes neste condado para formar uma tropa inteira".


 


sábado, 22 de novembro de 2014

Eu e meu jeito único...

Eu tenho poucas esquisitices, desde sempre tenho um relacionamento único com o lugar que habito, não consigo ser o tipo de anfitriã ao estilo mulherzinha, que recebe as visitas com beijinho no rosto e coisa e tal, acho tão bonitinho mas não sou assim, minha mãe é uma super anfitriã, cresceu com a casa cheia de amigos, ama dar festinhas e eu tremo quando chega o aniversário das minhas filhas, pois não tem desculpa, tenho que fazer alguma coisa para não passar em branco, quando eu era criança quase não levava amiguinhos em casa, e quando acontecia eu suspirava aliviada quando a amiga ia embora, entendam não sou uma pessoa mal-educada, de modo algum, minha educação e gentileza as vezes extrapolam mas tenho esquisitices...
Ai chega a adolescência, namoradinho em casa? Raramente, sério era um saco, só levei três sendo que o terceiro virou marido, e eu dava tantas desculpas, mas não via sentido em ficar na sala com namorado, família era muito chato, bizarro mesmo.
E agora que sou balzaca, morando sozinha, com duas garotinhas, isso ficou impossível, devo dizer que perdi algumas oportunidades de desenvolver algo promissor por isso, é algo difícil de explicar mas se alguém consegue ultrapassar essa barreira vira amigo para toda vida. E não sou o tipo insegura, ou muito tímida me defino como alguém reservada, que ama ficar em casa numa boa, com uma roupa confortável pijama e que não tem muito tato com visitas. Para ilustrar bem meu dilema vamos a um dialogo verídico que aconteceu já a algum tempo.
Ele- você vai me convidar para conhecer sua casa? ( muitos meses de amizade)
Eu- se ficarmos amigos, e eu confiar em vc porque não
Ele- adoro sua sinceridade   
E nunca o convidei, e fomos amigos por anos, e tem sido sempre assim.
Minha casa, meu reino levo isso ao pé da letra, não tenho nenhum segredo cabeludo, querido leitor do meu desabafo, apenas sou assim e imaginem o meu dilema quando as meninas crescerem, a mais velha parece ter herdado essa esquisitice da mãe mas a caçula é uma criaturinha exuberante, muito comunicativa e eu fico aflita só de imaginar, ok vai demorar mas vai acontecer...
E me imagino as vezes trazendo um estranho para o ninho, e a imagem lembra um pouco aquelas comédias pastelão, se ele não gostar da decoração? Ou se achar a vizinhança estranha? Ou se achar que manda no pedaço? Ou se não quiser ir embora? Se for um psicopata? Sério isso, tenho alguns problemas com novidades batendo a porta, bem vou encerrar pois a postagem ta ficando longa e não quero falar muito.
Antes que eu me esqueça comecei uma dieta e meu estômago ta pregado nas costas, é muito difícil ficar em forma depois dos 30 e finalmente comecei a leitura de E o vento levou, fazem dois anos que comprei os livros são dois em versão de bolso, também to aprendendo tocar violão, já aprendi como posicionar as mãos, parece bobo mas tem o jeito certo de segurar para não ter vícios e acredito eu não doer o punho.



quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Sobre praia e dias quentes

Não sou uma pessoa obvia, existem camadas e mais camadas que eu mesma ainda desconheço, todos somos assim, eu detesto praia a maior parte do tempo, odeio aquelas imagens ensolaradas de muito mar azul, areia branquinha, o mar caribenho me irrita profundamente. Quando pude conhecer o mar não foi uma experiência boa,  precisei fazer um passeio de barco a motor por uma hora mais ou menos da cidade até a ilha em que ficaríamos, foi nas férias de julho, faz bastante tempo, e eu simplesmente ficava mais no meu cantinho observando a alegria dos companheiros de viagem, biólogos em formação e professores, todos muito empolgados com a praia, e areia, e o sol, muito sol fritando os miolos, talvez eu tenha ido a praia errada, sei lá.
A única hora que realmente me divertia era quando a maré subia, a casa em que ficamos se encontrava perto do mar, o barulhinho era parecido com chuva e isso era reconfortante, também gostava de andar pela mata, a vegetação atlântica é linda e também fresca bem diferente da vegetação do Cerrado.
E a água salgada, o que é aquilo! Céus, é grudento e estranho, prefiro a água doce e densa que te puxa as vezes, até a água do mar tem aspecto ensolarado...

Não sou uma criatura que goste de praia, isso é fato, claro que as águas geladas e revoltas de um mar bravo me chamam mais a atenção, o tempo encoberto e a ressaca como os olhos de Capitu... Talvez porque as pessoas se recolham em si mesmas nesses momentos me tirando o peso de ter que sorrir e fazer a social, as sombras do fim do dia são sempre inspiradoras, mesmo que o entardecer me traga melancolia.
Ter dias assim tem ficado cada vez mais difícil é um tal de aquecimento global, efeito estufa, e tanta mudança climática que me dá nos nervos, somos fadados a morrer de calor e perder a sensação poética das tardes de chuva e dos dias de recolhimento invernal.
Tenho pena das gerações futuras.  
  




  
       

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Como eu leio


Olá leitores, como vão? Aqui a segunda tá bem quente, hoje eu estava assistindo ao canal da Vanessa Chanice https://www.youtube.com/user/centraldaleitura e vi essa Tag que foi traduzida por ela, a Tag é bem tranquila de fazer então decidi fazer por aqui, espero que gostem! O link vou deixar no fim da postagem, vamos as perguntas?



1- Como você descobre sobre novos livros para ler?
Através de blogs literários, autores que pesquiso e encontro outros que escrevem sobre assuntos parecidos e sites de editoras.

 2-  Como você entrou nesse mundo da leitura?
Cresci vendo minha mãe e minha tia que é professora com livros nas mãos, apesar da minha mãe nunca ter lido para mim ela sempre comprou livros infantis ou revistas em quadrinhos, meu interesse por livros surgiu de forma natural.

3- Como seu gosto literário mudou com o passar do tempo?
Não mudou muito mas acho que refinou, leio geralmente o mesmo gênero, a diferença é que hoje em dia leio muitos autores brasileiros, antigamente lia só os clássicos de autoria nacional.

4- Com que frequência você compra livros?
Todo mês compro livros, as vezes muitos outras vezes um, ultimamente tenho frequentado muito o sebo da minha cidade...

5- Como você entrou nesse mundo de canais literários?
  Por acaso, através de páginas literárias que sigo nas redes sociais, acompanho três.

6- Como você reage quando não gosta do final de um livro?
Como uma criança mimada, eu fico revoltada e me sinto enganada rs, demoro muito para ler o livro novamente.

7- Com que frequência você espia a última página do livro para ver o que acontece no final?
Não espio.

8- Quem você vai marcar para responder essa Tag?
Não vou indicar mas quem quiser responder sinta-se a vontade e me avise, quero ver as respostas :)



  










domingo, 16 de novembro de 2014

Desafio das cartas: seu ex namorado (a) paixão/amor

Caríssimo 
Como esta? Eu estou bem, sei que pode parecer estranho mas fazia parte do desafio escrever esta carta, confesso que protelei o quanto pude, pois remexer no passado definitivamente é algo que não me atrai.
Bem já que precisava escrever vamos aos fatos: Estou muito bem como escrevi logo acima, você já não tem um lugar cativo no meu coração, até mesmo dos meus pensamentos você já não faz parte.
Espero que você esteja vivendo uma vida plena e saudável, que não continue querendo moldar quem quer que esteja com você, isso não funciona...
Não vou dizer que te desejo muitas flores e amores, espero que você quebre a cara mais algumas vezes, para restaurar o equilíbrio no universo, afinal quando você decidiu partir sem um aviso, pensando que encontraria as portas abertas, você deixou muita coisa revirada, muita bagunça e mágoas, felizmente o tempo e algumas pragas destinadas a você logicamente curaram as feridas, restando apenas uma fina cicatriz que as vezes dói, para lembrar-me que insistir em alguém que não quer algo além de diversão não pode acabar bem.
Espero que você cresça como pessoa, que sua vida profissional te satisfaça já que ela sempre esteve em primeiro lugar, que um dia você compreenda que que perfeição é subjetiva e que beleza física só brilha se a beleza interior se sobressair.
Enfim não vou dizer que foi tudo ruim, aprendi muita coisa boa com você, vivemos momentos únicos e que valeram a pena ser vividos, crescemos juntos dentro das nossas possibilidades, mas eu segui uma vertente e você outra, apenas isso, e você simplesmente tomou outro rumo primeiro.
Vou terminando por aqui, já não temos mais nada para falarmos um para o outro, pois tudo já foi dito.
Fique bem e seja feliz.
  Carol     


   

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Quero um amor...

Quero um amor de trovas na janela
Passeios aos domingos
Mãos dadas com muito carinho
Um amor de flores no jardim
Poesias ao pé do ouvido
Beijinhos na bochecha
Cafuné e segredinhos
Quero um amor,
Com gostinho de brigadeiro
Serenatas na madrugada
E anel de compromisso
Quero um amor
Que dure para sempre
Mesmo que esse sempre 
Seja apenas uma vida



sábado, 8 de novembro de 2014

Entre lembranças e Blues

Mas talvez a madrugada exista para acalentar os que pouco dormem...
É um tal frenesi na alma, correndo pelo corpo, deixando os sentidos sempre alerta ao passar da meia-noite.
Cinderela as avessas que acorda ao soar das doze, e perde o sapatinho dançando sem parar.
É o Blues que toca no velho aparelho, e os pés timidamente balançam enquanto as mãos teclam, solitária mas feliz, com sua condição de saber-se livre.
O coração pulsa junto com a música, os acordes agora invadem o ambiente, algumas lembranças surgem como fantasmas, mas ela tão experiente em domar sua tristeza logo fecha os olhos e pensa no último beijo, é capaz de sentir o hálito quente com sabor de bala de menta, até mesmo as cócegas provocadas pela barba por fazer...
Pronto, a tristeza bateu em retirada e o coração volta ao seu ritmo alegre e faceiro.
Sem dúvidas ela foi feita para beijos, mas o amor ainda não chegou, então se delicia com suas lembranças.
Outra música começa, alegremente ela acompanha a canção com sua voz desafinada e um pouco rouca, se levanta, caminha para a cozinha dançando alegremente, abre a geladeira, mas ele não está ali, pega uma garrafa e deixa o líquido gelado refrescar sua garganta. Mas a música continua tocando no velho aparelho, seu corpo dança acompanhando a melodia, e a moça sorri de sua condição, um corpo ardendo com uma alma fria, tão fria a ponto de se mesclar com a madrugada, e a voz acompanha desafinada e rouca o Blues, logo o dia vai nascer trazendo cores e ruídos, mas a moça prefere os aromas e sabores encontrados na madrugada, a reclusão voluntaria, as lembranças embaralhadas, o Soul, o Blues e o sabor da bala de menta que por vezes volta, de quando em vez...

      

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

One Lovely Blog Award

Olá leitores, tudo bem?
Fui indicada pela Camyli Alessandra http://ladomilla.blogspot.com.br/2014/11/one-lovely-blog-award.html para responder essa Tag que consiste em responder 11 perguntas relacionadas ao seu blog pessoal e um pouco da sua história no mundo da blogosfera.
Camyli sá linda bjão! Gente é a primeira vez que sou indicada para responder uma Tag :)                                         Então sem mais vamos a postagem.




1) Porque decidiu criar um blog e quando começou?
Bem decidi criar um blog para ter um espaço meu para postar meus textos, coisas bacanas que encontro na net, e queria um lugar em que as pessoas me encontrasse e não por uma imposição minha como acontece no Facebook por exemplo, meu blog é um bb de 1 ano e três meses, antes eu ficava lendo e admirando os blogs alheios rs hoje posso também admirar o meu.

2) Quais os benefícios que o blog te traz?
Com o blog eu tenho aprendido a mexer nos recursos como formatação que é bem difícil para quem esta no início, voltei a escrever textos, contos e poesias, e conheci muita gente boa, são pessoas que me tem acrescentado muito, me feito crescer.

3) Qual o post mais acessado?
O primeiro foi uns versinhos que fiz para comemorar a chegada de agosto, o segundo foi minha primeira postagem para o Rotaroots e o último foi um soneto que o querido poeta Samuel Balbinot fez para mim, viu quanta coisa bacana o blog me trouxe?

4) Você usa redes sociais?
Sim, tenho outro blog que está parado e que vou colocar os contos que escrevo, Facebook pessoal, Skoob, tumblr, flickr, pinterest e You Tube. 

5) Como o blog tem evoluído?
Bem, tenho postado com frequência, estou me organizando melhor e meu blog tem ficado com um estilo próprio que me agrada, está crescendo né? Então tem muito o que aprender.

6) Já viveu um fato importante por causa do blog?
Sim, me trouxe pessoas maravilhosas, que sempre tiram um tempo para visitar e trazer um comentário carinhoso :)

7) De onde nasce inspiração para escrever e continuar o blog?
Das coisas cotidianas, do mundo que tenho em minha volta, do meu crescimento interno, da minha mente caótica, desenfreada e que não quer parar... Das minhas mãos que insistem em procurar o teclado e escrever, sempre e mais...

8) O que você tem aprendido a nível profissional e pessoal esse ano?
O ano de 2014 tem sido para mim um teste de tolerância com algumas pessoas que convivem comigo no meu dia-a-dia, logo não tem sido muito doce mas isso tem me trazido um amadurecimento necessário, tem me melhorado e tem me feito crescer, o nível profissional tenho muito o que resolver, e vou dar o ponta pé inicial no próximo ano.

9) Qual sua frase favorita?
"Podia ser pior"    
e
"Entre o que é rosa e o lodo necessário passa um rio sem foz e sem começo"
Ferreira Gullar
Esta última me sintetiza bem...

10) Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo dos blogs?
Devagar e sempre, penso que se você escreve o que gosta consequentemente fará algo bom e isso não passa despercebido para o leitor, e todo mundo tem seu público então nada de ficar louca (o) e querer agradar gregos e troianos, respeite o que você gosta e seja autêntico, tudo bem você se inspirar em quem você admira mas nada de plágio viu? É chato ler algo visivelmente copiado.

11) O que os blogs que você vai indicar tem em comum?
Originalidade, conteúdo que vai além do look do dia ou do livro da moda e respeito mútuo, alguns blogs que acompanho não vou indicar pois são blogs com um nicho específico como literatura, poesia ou já responderam a Tag mas vocês são incríveis ^^


Espero que tenham gostado 
Tchau o/










quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Setembro e Outubro foram assim...

Passeio tranquilo






 Branca de neve e os sete anões...





Fiz pão





Outubro

Bruna e Paulo (primos confabulando)

Brincando e fazendo bagunça...

Visita inesperada





Comprei um short de bolinha

Paguei 12 reais nesse livro em um sebo 

Estou na página 50, mas não é essa, apenas gostei do que está escrito.


Ps: Peço que desculpem a quantidade de fotos,
        mas só hoje consegui tempo para selecionar as fotografias.