domingo, 29 de dezembro de 2013

Adieu 2013

Este ano que está acabando foi bem interessante, eu diria que foi um ano tranquilo, sem problemas insolúveis, doenças ou traumas.
Iniciei outra reforma na minha casa, para quem não sabe em 2011 comprei uma casa, bem antiga "para não dizer caindo aos pedaços, mas em um bairro legal e perto da minha família, apesar de não ir com a cara de alguns vizinhos prontofaleimecondenem u.u" e sismei em reformar, olha se eu pudesse voltar no tempo teria derrubado tudo e levantado outra, sem problemas com telhado, encanamento antigo e tantos outros detalhes. Pena que na época em que comprei a casa não tirei foto pois estava terminando a faculdade e também em um emprego novo, não tinha cabeça para pensar nessas coisas mas quando tudo estiver legal vou colocar fotos da evolução da reforma, as vezes penso em derrubar tudo e levantar uma nos fundos porque meu lote é grande, mas dá uma pena quando eu penso em tudo que já investi até agora, bem eu e essa casa é uma verdadeira novela Mexicana.

No início do ano uma das minhas irmãs se casou e chamou todos os irmãos para madrinha e padrinho, eu declinei porque estou solteira e meus irmãos são todos casados, sei que isso não é problema mas eu não quis e pronto, sabe como é ariana cabeça dura...
Minha filha Isa foi dama e ficou linda, o casamento foi bem bonito e acho que vou ainda ser convidada para muitas bodas.
É, sou a única dos irmãos que está divorciada, mas hoje em dia estou bem e também tranquila com essa decisão, inclusive já pararam de pegar no meu pé para arrumar alguém, isso é muito bom mesmo ^^
Comprei muitos livros, muitos mesmo e isso me deixou imensamente feliz por outro lado este foi o ano em que comprei menos roupas, sapatos e quinquilharias tipo brincos, pulseiras e enfeites... E olha que gosto muito de comprar essas coisas.

Estou testando novas receitas e estou gostando imensamente desse meu lado dona de casa fofinha, minha casa sempre tá com aquele cheirinho bom de café e bolo, tentação para minha dieta que nunca termino, depois dos 30 o bicho pega minha gente e manter a forma fica muuito difícil.
Abandonei completamente minha vida acadêmica, não sei se volto a investir em Biologia ou se começo tudo outra vez, estou pensando muito sobre isso, logo a Bruna minha caçula vai para escolinha então poderei pensar melhor no que fazer, eu deixei tudo de lado para ficar em casa quietinha com minhas meninas e está sendo muito muito bom, mas sinto que se aproxima uma mudança e quando eu estiver realmente pronta e confiante volto ao mercado de trabalho para batalhar o meu lugar ao sol.

Resolvi algumas questões que me incomodavam, outras ainda continuam ali me perseguindo, mas um dia resolvo essas, para aparecerem outras.
Sou uma pessoa mais confiante e menos explosiva, esse ano quase não perdi a calma e briguei muito pouco com as pessoas mais próximas e isso é um grande passo.
Bem como falei esse foi um ano tranquilo que vai deixar boas lembranças e saudades também.

Não gosto muito de metas, me sinto pressionada, mas vou colocar uma lista, e quem sabe eu realize pelo menos 50% dela.

Lista de coisas que quero realizar em 2014
- Estudar, mesmo que seja cursos de aperfeiçoamento
- Prestar concursos
- Continuar com a reforma ( isto dá uma postagem independente)
- Talvez voltar a trabalhar fora, sim porque trabalho muito em casa
- Começar a alfabetização da Bruna, antes de matricular em uma escola
- Perder peso e praticar algum esporte, começo em janeiro
- Sair mais, porque esse ano só fiz programa família
- Comprar mais livros, tenho alguns em mente
Hum... Por hora só me veio isso em mente, talvez no decorrer do ano eu mude de ideia...


Amo esse estilo musical e essa música é fofa ^^
A sereia nada no ritmo dá música... 


Bom é isso e que o próximo ano nos surpreenda com boas novidades! o/

sábado, 28 de dezembro de 2013

Surpresa de abacaxi

Surpresa de abacaxi deveria se chamar doce de preguiçoso de tão fácil de fazer.
Então segue a receita

Surpresa de abacaxi
Ingredientes
- 2 abacaxis médios
- 4 colheres (sopa) de açúcar
- 1 caixa de creme de leite 250 g
- 1 pct coco ralado (opcional )

Modo de fazer
Descasque o abacaxi e corte em rodelas, corte pequenos pedaços dessas rodelas, nessa receita não se usa o talo do abacaxi, coloque uma panela no fogo despeje o abacaxi já picado, acrescente as 4 colheres de açúcar misture e deixe ferver até evaporar quase todo o líquido mais ou menos 15 minutos, despeje o creme de leite, misture e deixe ferver mais um pouco 4 minutos mais ou menos, desligue espere esfriar e coloque em um recipiente ou em pequenas taças de sobremesa.
Rende duas porções generosas.



  

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Memória- Carlos Drummond de Andrade



Como eu amo esta poesia, a sutileza de cada verso me encanta sempre que leio. Encontrar esse vídeo na internet foi um achado, penso que os poetas tocam o nosso coração com o que escrevem é como pegar um instrumento e afinar até encontrar a nota precisa.
As pessoas de alma sensível transformam as palavras, como se colhessem diferentes rosas e fizessem um buquê.

Memória

Amar o perdido
deixa confundido
este coração.

Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.

As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.

Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão.

Carlos Drummond de Andrade
(1902-1987)

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Eu e os livros - leituras de 2013

"Inclino-me a afirmar quase como regra que uma história para crianças de que só as crianças gostam é uma história ruim. As boas permanecem. Uma valsa da qual você só gosta quando está dançando não é uma boa valsa." - C. S. Lewis

Eu tenho uma história de amor antiga com os livros, me lembro bem do primeiro livro que li: A centopeia e seus 100 sapatinhos, eu gostava muito da centopeia encrenqueira que saia para comprar sapatos deixando a cigarra eu acho quase louca, imagina colocar 100 pares de sapatos em alguém, pois é depois desses vieram tantos outros livros, a fase em que mais li foi sem dúvidas na minha adolescência, mas ouve fases em que li pouco, na época da faculdade por exemplo lia muitos artigos, livros técnicos, Tcc, reportagens do mundo da ciência... Mas ler por puro prazer ou me distrair nada.
Este ano de 2013 eu comprei muitos livros, minha biblioteca particular ganhou muitos presentes, li bastante, inclusive autores que eu não tinha lido nada antes, foi um ano bem feliz em muitas áreas da minha vida mas sem dúvida nenhuma minhas leituras ganharam um destaque especial.
Eu estipulei uma meta de 3 livros por mês, mas no próximo ano não vou estipular metas para leitura, e sempre que eu ler vou resenhar por aqui e na Skoob também, não vou colocar quantidade porque não tenho muito tempo, mas sempre resenharei livros que estou lendo ou relendo.
Estou terminando a leitura de três livros e vou falar sobre os mesmos provavelmente no final de janeiro, pretendo também falar sobre as obras mais conhecidas de Jane Austen assim como de outros escritores que admiro, ainda relacionado com o assunto voltei a escrever, estava bem enferrujada e estou gostando muito, quem sabe um dia publico e ganhe pelo meu trabalho... 
Então é isso, um abraço a todos os leitores do meu blog anônimos ou não, espero que minhas resenhas incentive a leitura de vocês. o/


Imagem via Pínterest


       

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Não gosto desse dia! ó_ò


A menina cansada, olhando pela janela, com os pés descalços e trêmula de frio, está esperando um milagre natalino.
Em sua mesa não tem fartura, mesmo tendo se comportado seus brinquedos foram negados.
Mas sua esperança não morreu e de sua janela observa, se a estrela de Belém seu desejo irá atender, não é boneca ou vestidos, sapatilhas ou um livro, mas o que a menina anseia é o retorno do seu pai que há muito se foi sem dizer um adeus, sem olhar para trás ao menos... 
Doce sonho de criança que não se concretiza, em outro cômodo silenciosamente, sua mãe chora por saber que mais um ano se finda, e sua doce princesa tem novamente seu coração partido.
Por: Raiza Carolina  


Eu não gosto de comemorar nada no natal, acho um dia deprimente, não gosto dos desenhos ou filmes que mostram crianças pobres que mal tem o que comer e que não ganham presentes, não gosto do "feliz natal", não gosto da forma patética que as pessoas se comportam...
Os filmes e desenhos felizes ainda vai, a decoração da cidade e o sorriso das crianças também é bonito de se ver mas o resto não dá! Mas estou tentando mudar e talvez um dia eu não sinta vontade de desaparecer nessa data!






terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Usando a criatividade

Descobri uma página na internet que podemos criar várias coisas inclusive quadrinhos.
Como gosto dessas brincadeiras fiz um pouco da minha rotina ^^


Vou aprimorar e colocar mais coisinhas legais, essa foi uma primeira tentativa feita com pressa...
Vídeo para ver enquanto brinca, Cyndi manda bem! amoooooooo 
Obs: Confesso que sou um pouco parecida com a personagem do clipe @_@ 
- garotas querem se divertir u.u   


O site é este: http://www.toondoo.com/ o/



quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Foto e poesia


Três coisas

Não consigo entender
O tempo
A morte
Teu olhar

O tempo é muito comprido
A morte não tem sentido
Teu olhar me põe perdido

Não consigo medir
O tempo
A morte
Teu olhar

O tempo, quando é que cessa?
A morte, quando começa?
Teu olhar, quando se expressa?

Muito medo tenho
Do tempo
Da morte
De teu olhar

O tempo levanta o muro.

A morte será o escuro?

Em teu olhar me procuro.

Paulo Mendes Campos
(1922-1991)


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Aros redondos

Olho pra você e vejo seus óculos, muita coisa se esconde por trás dessas lentes.                                   
Aros redondos com cara de coruja!
 Mistura de Harry Potter com John Lennon.                                     
 Jeito intelectual com cara de menino, joga RPG e lê bons livros, gosta de dinossauros e escreve poesias, as vezes fica bravo parecido com um ogro mas logo a raiva passa e volta a ficar doce.
Gosta de espadas e violinos, tem cabelos grandes e muito estilo!
Com seus óculos redondos fica com cara de coruja!
Mas a barba sempre grande traz seriedade a sua figura.
Não leve a mal esses versos engraçadinhos é só minha maneira de demonstrar carinho      
                                                                                                                                       



                                                                                                                                                                 
Por: Raiza Carolina                                                                                                                                      

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Surpreendendo o paladar

Ontem resolvi fazer uma receita que nunca tinha tentado e deu certo de primeira, então para mostrar meus dotes culinários porque além de linda, cheirosa, inteligente, maravilhosa... Brincadeira, mas o fato é que gosto de fazer bolos e doces, e a maioria das vezes dá tudo certo.
Então vamos a receita, com direito a fotinha no final ^^

Bolo de creme de milho
Ingredientes
2 copos e meio (americano) de creme de milho
4 ovos
2 copos(americano) de açúcar
1 copo (americano) de óleo
2 copos e meio (americano) de queijo parmesão ralado
1 copo (americano) de coco ralado
2 copos (americano) leite
1 colher (sopa) de fermento em pó

Modo de preparo:
1- coloque no liquidificador os ovos, óleo, o açúcar, o leite e bata até que fique um creme bem homogêneo.
2- acrescente o creme de milho, o queijo parmesão, o coco ralado e bata tudo até que a massa fique uniforme.
3- por último coloque o fermento químico em pó e bata só um pouquinho.
4- unte a fôrma grande com furo no meio, coloque a massa para assar em forno pré aquecido cerca de 180 graus, por 30 minutos.
Obs: não usei queijo parmesão e não interferiu no sabor ou consistência do bolo.



Então tchau o/



sábado, 23 de novembro de 2013

Leituras de outubro

O lado bom da vida
Li esse livro em um dia, achei a história bonitinha, Pat personagem principal é cativante.
A história fala de amizade, esperança e também loucura, quando Pat recebe alta de uma clínica psiquiátrica só tem uma coisa em mente: Reconquistar sua esposa Nikki o que Pat não imagina é que muitas coisas mudaram, seus amigos, seu irmão e os jogadores de seu time favorito....
E tudo que Pat precisa é voltar a vida comum e conviver com as mudanças, a sua nova filosofia de vida se torna ver o lado bom da vida, mas ele vai descobrindo aos poucos que não é tão fácil sere otimista e lutar por finais felizes.
Seu pai se tornou mais distante, sua mãe muito emotiva, seu grande amigo da faculdade um pai responsável e marido submisso... E com tudo isso Pat conhece Tiffany uma jovem bonita e atirada que também passou por momentos difíceis e que insiste em fazer parte de sua vida.
Achei a história levinha, simples é algo para ler quando se está com preguiça até mesmo de respirar, pois não exige muito esforço de nossas sinapses químicas.
Obs: O filme não fez jus ao livro, mexeu com a personalidade dos personagens principais, acabou ficando estranho, não consegui assistir até o fim. Se quiser ver só o filme recomendo mas não é dos melhores mas se for ler o livro passe longe do filme...



A culpa é das estrelas
Bom preparem os lencinhos você certamente irá usar.
 O livro conta a história de dois adolescentes Hazel Grace e Augustos ou Gus, devo dizer que me apaixonei por Gus.
Quando Hazel chega para mais uma sessão entediante do grupo de apoio conhece Augustos um jovem bonito, alto, atlético e com incríveis olhos azuis, e que não para de olhar para ela, a princípio Hazel se sente incomodada mas quando conhece melhor Augustus percebe que alem de um jovem bonito  ele se mostra inteligente e sim tem sua história com o câncer.
Os dois enfrentam seus dilemas com muito senso crítico e um certo humor negro em relação ao câncer e seus tratamentos, são dois jovens comuns que se conhecem se identificam e fazem da doença um mero detalhe em suas vidas, é possível se reconhecer em vários trechos do livro pela veracidade que é passada independente de se ter câncer ou não, principalmente na insegurança que nos envolve em nossa adolescência. Ao ler esse livro a palavra ok ganha um significado especial.
Alguns infinitos são maiores que outros... Só lendo a história para entender essa frase com sua deliciosa reticencias.


Frankenstein: ou Prometeu Moderno
Confesso que tinha um certo preconceito com esse livro, mas quando comecei a ler entendi a razão de ter se tornado um marco inaugural de uma nova modalidade literária, é um clássico na renovação de romances góticos.
Tudo se inicia com o jovem Victor Frankenstein por meio de conhecimentos de biologia, química e fisiologia cria em seu laboratório um "monstro" de aparência repugnante, apavorado com o que fez Victor se desespera e o monstro acaba fugindo iniciando uma jornada de solidão e aprendizado, e se torna inteligente, sensível e capaz mas também se torna um ser solitário, em seu desespero e sofrimento Frankenstein acabou por ir a procura de seu criador e inicia então uma história de horror morte e muita tristeza.
Eu recomendo essa leitura, nos faz refletir o quanto podemos ser preconceituosos com aquilo que consideramos fora do normal, e também mostra as consequências da solidão na vida de um ser pensante. E tem o bônus de conhecer um pouco a vida de Mary Shelley e as circunstâncias em que foi escrito o livro.
Fiquei bem impressionada ao descobrir que Mary Shelley escreveu esse livro com apenas 19 anos, sem dúvida uma mente brilhante.



Então é isso, boa leitura o/ 


    



       

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

A foto do livro


- Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para fazê-lo feliz quando a contempla. Ele pensa: "Minha flor está lá, em algum lugar..."

- O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry 


sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Procura-se:

Procura-se alguém com o coração partido , machucado ou ferido.
Alguém que assim como eu tenha perdido a fé na humanidade.
Alguém cujo sonhos tenham sido pisado várias vezes.
Alguém que mesmo com tantas decepções, não tenha perdido a doçura.
Alguém que saiba valorizar o que é verdadeiro, e não somente as aparências.   


Procura-se um coração solitário, gentil e machucado.
Que não recue com o primeiro obstáculo.
Que não tenha medo de viver.
Um coração nobre, guerreiro e valente.
Que sorria de suas loucuras, que ame sem reservas.


Um coração que mesmo machucado, não tenha medo de amar.
Que mesmo solitário, saiba ser companheiro.
Que mesmo decepcionado seja terno.
Um coração parecido com o meu:
Machucado, carente
Solitário, calado
Triste, vazio
Calejado
Mas...
Com esperanças de encontrar sua metade. 

Por: Raiza Carolina
  

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Foto e poesia


Despedida

Eu deixarei o mundo com fúria.
Não importa o que aparentemente aconteça,
se docemente me retiro.

De fato
nesse momento
estarão de mim se arrebentando
raízes tão fundas
quanto estes céus brasileiros.

Num alarido de gente e ventania
olhos que amei
rostos amigos tardes e verões vividos
estarão gritando a meus ouvidos
para que eu fique
para que eu fique.

Não chorarei.
Não há soluço maior que despedir-se da vida.

Ferreira Gullar
(1930)




quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Leituras de setembro

Coraline
Que livro adorável, cheio de mistérios e surpresas.
Coraline é uma garotinha que vive com os pais em um enorme casarão, que também é habitado por velhinhos que nunca pronunciam seu nome de forma correta, duas ex atrizes rechonchudas que vivem com seus cachorrinhos e um senhor que afirma treinar ratos para um espetáculo.
Em um dia chuvoso Coraline explorando a casa descobre uma porta e quando consegue abrir percebe que é fechada por tijolos, mas a porta é uma passagem secreta para outro mundo, em que existem outros pais com botões no lugar dos olhos, outros vizinhos que não erram seu nome e um gato preto arrogante que fala, neste novo mundo Coraline percebe algo estranho além dos olhinhos de botões, mesmo que a refeição servida em sua nova casa seja saborosa, mesmo as roupas legais no armário, sua nova mãe é diferente com dedos longos e finos e com dentes pontudos, que olha para Coraline com cara de quem tem fome...  
A história tem um clima bem macabro com personagens estranhos e com um clima sombrio. 


                                                                                  Marina                                                                                             " Por quatro semanas, professores e psicólogos escolares me martelaram para que eu revelasse
 meu segredo. Menti, oferecendo a cada um exatamente o que queria ouvir ou podia
 aceitar. Com o tempo, todos fizeram um esforço para fingir que tinham esquecido o
episódio. E eu segui o exemplo. Nunca contei a ninguém a verdade sobre o que tinha
acontecido.
Na época, não sabia que, cedo ou tarde, o oceano do tempo nos devolve as lembranças
que enterramos nele. Quinze anos depois, a memória daquele dia voltou para mim. Vi
aquele menino vagando entre as brumas da estação de Francia e o nome de Marina se
acendeu de novo como uma ferida aberta.
Todos temos um segredo trancado a sete chaves no sótão da alma.
Este é o meu."

Gostei muito deste livro, toda a história se passa em Barcelona, lugar que o estudante de internato Oscar Drai com 15 anos passa boa parte do seu tempo andando pela cidade, em um desses passeios conhece uma linda jovem chamada Marina de forma inusitada, logo ele é apresentado ao seu pai o elegante e gentil Germán, os dois vivem em um casarão antigo e sem iluminação juntamente com Kafka, um gato preto e mimado.
A história vai se revelando aterrorizante com várias tramas paralelas, é como se existissem vários livros em um. Os dois jovens se envolvem em uma série de investigações que coloca suas vidas em risco, momentos passados com criaturas rastejantes e aparentemente sobrenaturais. As visitas de uma mulher vestida com um manto negro à uma sepultura sem nome, sempre à mesma data e hora desperta a curiosidade dos dois, que ao seguir a dama acabam conhecendo uma estufa com manequins vivos e cheiro de carne em putrefação, dando início a uma série de eventos com muita aventura e também situações de medo.  
Por outro lado Oscar passa a conviver com Marina e o seu pai no casarão sem eletricidade e inicia uma bonita amizade por Germán e um amor inocente por Marina.
O fim é triste mas muito delicado.
É um romance gótico e bem elegante.
Vale a leitura. 


Razão e sensibilidade
O outro livro que li pela terceira vez foi Razão e sensibilidade de Jane Austen mas como vou resenhar suas principais obras à começar por ele não falarei sobre o mesmo nesta postagem.

  

   

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Eu não preciso de amigos!

Li esse texto no blog Reino de Morango e me identifiquei tanto com ele que decidi postar no meu, essa condição de me encontrar sempre sozinha é algo tão familiar que não estranho, não é algo depressivo, tenho poucos e bons amigos, minhas filhas que estão sempre ao meu lado, parentes, mas estar "sozinha" é algo tão normal que não acho ruim, pelo contrário nesses raros momentos eu sou eu mesma, não que eu assuma outra personalidade quando estou acompanhada mas todos adotamos outra postura em frente a outras pessoas, bom então vamos ao texto.

Enquanto a primavera passa, o problema que sempre surge é: "Eu não tenho nenhum amigo. O que devo fazer?". Em abril as turmas mudam e o ambiente fica diferente, então com aquele olhar distraído no seu rosto, antes que se dê conta, as pessoas que você não conheceu formaram seus próprios grupos. Sem nem se dar conta, você acabou sozinho. Quando o Verão se aproxima, você está quase livre desse problema porque você esteve junto dos seus amigos nas animadas férias de verão, mas mesmo nessa estação há aqueles que não conseguem fazer amigos. 

Essas pessoas podem apenas desistir. Continue vivendo sozinho, com força. Jovens moças não precisam de amigos. Jovens moças são seres sublimes e isolados. O comportamento típico dos heróis dos meninos é formar um grupo... Tom Sawyer e Huckleberry, Getter Robo era composto de três pessoas, e mesmo o romance "Two Years Holliday" de Julio Verne tinha que ter quinze rapazes nele, nenhum dos quis independente. Mas meninas são diferentes. Alice teve sua aventura maravilhosa sozinha. Quando Anju e Zushiou foram raptadas por Sansho Dayu, Anju permaneceu lá sozinha e permitiu que seu irmãozinho escapasse. Tem também Meg-chan: "Dizem que ela é uma pessoa que pode fazer qualquer coisa, a pequena bruxa Meg é solitária", é como a música segue. 

Jovens moças têm uma existência absoluta. "Absoluto", nesse caso, quer dizer que elas não podem ser comparadas a nada mais; já que há a exclusividade, não precisam de amigos. Do mesmo jeito que Ken-san de um filme de yakuza, jovens moças estão esplendidamente sós. "Mas se eu apenas abrisse meu coração, poderia fazer amigos", dizem, mas você não pode abrir seu coração para estranhos sem que ele seja desperdiçado. Uma moça jovem é como uma brilhante jóia e seria pouco recomendado permitir que as pessoas vissem isso. Mesmo o trabalho em vidro mais frágil se tocado, possui um escudo forte protegendo-o. Por trás dessa disposição fria e segura, talvez de algum lugar distante alguém vá observar e se perguntar: que bela e tristonha garotinha. Mas esse tipo de bajulação é desnecessário. Você também deve se sentir bem se disserem: "Que criança arrogante" ou "Que criança melancólica". Se quiser fazer amigos porque não agüenta comer seu lanche só, tenha consciência do quão estúpido isso soa. Como a bela aristocrata "Butterfly Wife" Ruyzaki Reiko, de "Ace wo Nerae!", solidão é sempre o aliado de uma rainha. Quanto a mim, meus únicos amigos são minha TV e meu vaso de planta.






Créditos:
Original: Soleilnuit, por Novala Takemoto
Tradução do japonês para o inglês: Curi
Tradução do inglês para o português: Sra. Fujiwara
Extraído do blog: http://reinodemorango.blogspot.com.br/2011/03/eu-nao-preciso-de-amigos.html   

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Jane Austen

Oi pessoas, como vão? Estamos na primavera, achei poético escrever sobre a vida e obra de Jane Austen em uma estação de reflorescimento, algo que seus romances apesar de toda crítica irônica nos traz.
Minha resenha tem como fonte de pesquisa alguns blogs que costumo ler, meus livros e a boa e velha Wikipédia, que sendo usada com olhar crítico é um ótimo meio de pesquisa, tudo será creditado no fim da minha postagem.

Jane Austen nasceu 16 de dezembro de 1775, em Steventon, Hampshire, Inglaterra. Sendo a sétima filha do reverendo George Austen, um pároco Anglicano local, e de sua esposa Cassandra.
O reverendo Austen era uma espécie de tutor, e suplementava os ganhos familiares dando aulas particulares a alunos que residiam a sua casa.
A família era formada por oito irmãos, sendo Jane e sua irmã mais velha Cassandra as únicas mulheres.
Cassandra e Jane eram confidentes, e hoje se conhece uma série de cartas de sua correspondência.
Em 1783, Jane e a irmã foram para casa da Sra. Cawley, em Southampton, para prosseguir sua educação sob sua tutela; porém tiveram que regressar para casa devido a uma enfermidade infecciosa. Entre 1785 e 1786, ambas foram alunas de um internato em Reading, a educação que Austen recebeu ali foi a única fora do âmbito familiar, por outro lado sabe-se que o reverendo Austen tinha uma ampla biblioteca, e segundo ela mesma conta em suas cartas tanto ela quanto sua família eram "ávidos leitores de romances, e não se envergonhavam disso."
Não há provas que Jane foi cortejada por ninguém, apesar de um breve amor juvenil com James Lefroy, aos 20 anos. Em janeiro do ano seguinte, em 1796, escreveu a sua irmã dizendo que tudo havia terminado, por motivos econômicos . Pouco depois uma tia de Lefroy tentou aproximar Austen do reverendo Samuel Blackall mas ela não estava interessada.
Em 1800, seu pai decide se mudar para Bath, cidade que Jane não apreciava muito. Nessa época a família costumava ir á costa todos os verões, e foi em uma dessas viagens que Jane conheceu um homem que se enamorou dela. Quando partiu, decidiram voltar a se ver porém ele morreu, tal fato não aparece em nenhuma de suas cartas, mas foi escrito muitos anos depois, e não se sabe o quanto esse namoro possa ter afetado Austen, ainda que alguns o considerem inspiração para obra Persuasão.
Em dezembro de 1802, estando Jane e Cassandra com a família Bigg, perto de Stenventon, Harris Bigg-Wither pediu Jane em casamento, e ela consentiu. Provavelmente, rompeu o compromisso no dia seguinte, e voltou com a irmã para Bath, nem Jane e nem Cassandra Austen se casaram.  
Em janeiro de 1805, morreu seu pai, deixando a esposa e a filha em situação economicamente precária, e elas passaram a depender de seu irmão e da pequena quantia que Cassandra herdara de seu prometido.
Em 1806 os Austen se mudaram para Southampton.
Em 1809 se mudaram para Chawton, onde seu irmão Edward poderia abrigá-las em uma pequena casa dentro de uma de suas propriedades. Uma vez instalada Jane retomou suas atividades literárias.
 Jane Austen faleceu em 18 de julho de 1817 com 41 anos. Suas últimas palavras foram " não quero nada mais que a morte".
Em seu testamento, legou tudo o que tinha a sua irmã Cassandra, na época não se sabia a causa de sua morte, hoje considera-se que foi Doença de Addison.
Está enterrada na Catedral de Winchester.

Formação como escritora
Torna-se difícil precisar o momento que Jane Austen começou a escrever. A existência de caderno de notas contendo relatos assinala que o talento despertou em tenra idade, em 1791 aos 16 anos, já dispunha de um bom número de exemplares armazenados.
Seus primeiros trabalhos se caracterizavam por ser uma extensão ligeiramente inferior às suas obras mais maduras.
Sendo de uma família que promovia a aprendizagem, a leitura e as letras, Austen desenvolveu um talento especial que a levou ao desejo de compor textos, sempre representando neles os valores familiares que ela achava importante.

Obras de Jane Austen
As obra de Jane Austen marcaram um novo tipo de romance, que diferia dos demais temas que abordava. Seus romances contem uma mensagem instrutiva, assinalam o bom comportamento e mostram uma espécie de experiência fictícia, mas sempre mantendo os princípios clássicos aristotélicos de verossimilhança, isto é, estão de acordo com a realidade e oferecem por conseguinte, uma história onde os elementos que a constituem se prestam a veracidade dos fatos narrados.

Suas obras publicadas são:
Razão e sensibilidade (1811)
Orgulho e preconceito (1813)
Mansfield Park (1814)
Emma (1815)
A Abadia de Northanger (1818) póstuma
Persuasão (1818) póstuma
Existem outras obras escritas mais curtas e peças de teatro mas escreverei somente sobre seus romances mais conhecidos.        

Retrato a óleo de Jane Austen, feito em 1875, de autor desconhecido,
 baseado na aquarela feita pela irmã em 1810.   


Residência da família Austen em Chawton,
 onde Jane passou os últimos oito anos de sua vida (hoje um museu
).
A próxima resenha será sobre o livro: Razão e sensibilidade.



Sites que pesquisei: 

sábado, 21 de setembro de 2013

Uma tarde agradável

Uma tarde agradável, risos e conversa jogada fora.
Existem pessoas que o simples fato de existirem trazem luz por onde passam.
É algo na voz, no olhar, no sorriso que deixa tudo mais alegre.
Eu poderia passar a vida toda a admirar de longe que seria tão bom quanto estar por perto.
Eu escrevo aqui o que a timidez não me deixa falar pessoalmente.
Mas junto com tanta coisa boa, vem o aperto no peito, o nó na garganta e o medo de tudo se desfazer como em um sonho.
As cicatrizes deixadas por decepções do passado me faz tão frágil como um pássaro aprendendo a voar...


E o frio no estômago, adrenalina que corre pelo corpo, o coração fica acelerado, a vontade que dá é de abraçar infinitamente sem pensar, apenas abraçar para eternizar o momento.
Mas como não é seguro demonstrar tanto sentimento você guarda o carinho, a saudade, a vontade de beijar.
E o coração fica apertado e pequeno, os olhos marejados com infinitas lágrimas que não podem cair, porque o medo de demonstrar algo tão puro e tão terno e não ser correspondido vence, sempre...


Minha vontade é de te abraçar e arrancar todos os seus medos, te proteger de tudo que possa te machucar, te fazer sorrir e me transformar em tudo que te faça bem, mas não posso, apenas guardo tudo aqui no meu peito um lugar em que ninguém pode machucar, me sinto pequena perto do sentimento que em meu coração você desperta, é como se eu não merecesse ter alguém como você ao meu lado.
E a timidez me impede de demonstrar ou dizer tudo o que sinto.
Essa música da Marisa monte descreve bem tudo que se passa em meu coração.




Pelo tempo que durar
marisa monte
Composição: Adriana Calcanhotto, Marisa Monte

Nada vai permanecer
No estado em que está

Eu só penso em ver você
Eu só quero te encontrar

Geleiras vão derreter
Estrelas vão se apagar

E eu pensando em ter você
Pelo tempo que durar

Coisas vão se transformar
Para desaparecer

E eu pensando em ficar
A vida a te transcorrer

E eu pensando em passar
Pela vida com você


quinta-feira, 19 de setembro de 2013

A foto do livro


Olhos de ressaca? Vá, de ressaca. É o que me dá ideia daquela feição nova. Traziam não sei que fluido misterioso e enérgico, uma força que arrastava para dentro, como a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca .

- Dom Casmurro - Machado de Assis

domingo, 15 de setembro de 2013

fragmentos da alma

Pensamentos tristes as vezes surgem sorrateiros, em que momento da minha existência eu me perdi?
O que fiz para ter essa personalidade diferente, em que não se encaixa com nada ou ninguém?
A maioria das vezes o medo me vence, tento caminhar mas algo me paralisa, são inúmeras dúvidas que insistem em me acompanhar...
Sempre me vejo como um rascunho que deveria ter ficado na gaveta, alguém que os outros tentam esquecer.


E aí que me pergunto: até quando? Quando essa prova vai acabar?
As vezes acho que nunca, caminho sozinha, comemoro minhas conquista sozinha, choro sozinha...
E meu coração sempre vazio.
Minhas mãos vazias.
Meus pés frios.
Apenas vazio.
Vazio


Mas amanhã é outro dia, e quem sabe algo de novo aconteça, e alguém que se aproxime goste e não queira ir.
Ou eu aprenda a ser menos introspectiva, aprenda a dividir meus pensamentos.
Aprenda a ser alguém "normal" de alguma forma.
Ou encontre outro ser tão desigual quanto eu...




quarta-feira, 11 de setembro de 2013

A foto do livro

Descobri esse projeto em um blog bem interessante, o original do projeto é "A foto da música" em que o foco é pegar trechos de música e transformar em foto, como meu interesse é totalmente voltado para literatura vou escolher um trecho de algum livro que eu goste e me inspirar com a imagem fotografada.


Alma não telefonou naquela noite. Sonhei com ela, sentada na proa de uma pequena embarcação, deslizando por um canal e sorrindo enigmaticamente, como se me proporcionar um dia e uma noite de liberdade foce o último ato da charada.

Os mortos vivos - Peter Straub 

Então é isso espero que tenham gostado, da minha parte amei pois reuni livros e fotos, duas das coisas que me deixa feliz. Um abraço o/ 
  

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Dia do Biólogo \\o \o/ o//

Olá pessoas como vão? Hoje é comemorado o dia do biólogo, costumo dizer que a biologia me escolheu, apesar de ser uma profissão pouco reconhecida tanto licenciatura quanto bacharelado, é uma linda profissão e a maior parte dos biólogos que conheço amam o que fazem.

Alguns momentos da época da graduação





O profissional de biologia estuda os seres vivos, a morfologia, forma e organização das espécies, além das patologias e a interação do homem com o meio ambiente. A regulamentação da profissão se deu em 03 de setembro de 1979, através da lei  6,684 motivo pelo qual a data foi escolhida para homenageá-los.


Sempre gostei de animais, insetos, plantas a natureza em geral.
Aos 9 ganhei um livro de Ciências lindo, maravilhoso, eu o li inteirinho e me apaixonei por Ciências.
Aos 10 fazia minhas expedições pelo quintal de casa, gostava de cavar buracos, mexer em formigueiros procurando os "bebezinhos", em uma tarde de domingo coloquei um pote com resto de doce perto do formigueiro, as formigas saíram de perto para ir no pote, então cavei fundo o formigueiro e o desmanchei, coloquei o pote perto do formigueiro destruído e fiquei observando, como as formigas foram rápidas em transferir os filhotes para um formigueiro que era próximo, deixando de lado o doce, tão nobre mais nobre do que a nossa sociedade...
Eu poderia passar um bom tempo escrevendo minhas histórias de infância mas escolhi as duas mais importantes que me fizeram pensar na profissão.

Juramento oficial do biólogo
“Juro, pela minha fé e pela minha honra e de acordo com os princípios éticos do biólogo, exercer as minhas atividades profissionais com honestidade, em defesa da vida, estimulando o desenvolvimento científico, tecnológico e humanístico com justiça e paz.”






domingo, 1 de setembro de 2013

Cheirar livros...

Olá pessoas, como vão? Hoje quero falar sobre algo que leitores conhecem bem, cheiro de livros.
Eu simplesmente amava cheiro de livro novo, mas tudo mudou quando entrei para faculdade.
Lá no comecinho de 2008 iniciei minha graduação em Ciências Biológicas, e logo no primeiro período me deparei com aulas de anatomia humana, que me deixava particularmente deprimida, mas como era e sou apaixonada por biologia continuei firme e forte. A matéria era bem complicada, o professor carrasco, então tratei de adquirir todo o material didático, os livros chegaram no dia da aula de Anatomia humana prática.
o culpado de tudo



o conteúdo

Bem quando estava no laboratório as peças (cadáveres) estavam nas bancadas, me sentei em uma banqueta e fui abrir meus tesouros.
Ritual para abertura de livros
1- olhe o livro
2- retire o plástico que o envolve se tiver
3- contemple seu amado livro, se puder pode beijar e abraçar
4- abra o mesmo com cuidado e cheire
Tudo ia bem até chegar no passo 4, porque quando cheirei meu livro veio um aroma de livro novo misturado com formol, me deu uma vontade tremenda de vomitar, eu olhava para o livro, olhava para as peças, pedaços de corpos espalhados pela bancada...
Nunca mais consegui cheirar um livro novo, até hoje quando tento me vem aquela sensação horrorosa! 


agenda da época da facul

ritmo corrido da facul

minha letra fofa u_u

Minha agenda da época do trauma com o livro e o formol, agora só cheiro livro velho, aqueles com páginas amareladas pela ação do tempo, tenho muitos assim u_u/ 
Apesar de tudo foi uma época legal , cansativa mas feliz.

prova do meu sofrimento nas aulas de laboratório...

He he, minha cara de nojo em uma aula de laboratório...
Então é isso pessoas, e que sirva de lição, só cheire livros em ambientes com boa ventilação e de preferência longe de formol. 
Um abraço o/