segunda-feira, 16 de março de 2015

Música e texto

Hoje eu me sinto como uma espectadora da vida, pensando em toda essa droga que é ser alguém que raciocina e sente um pouco mais.
Tudo está desmoronando, a política, as pessoas e eu aqui ouvindo toques de guitarra, com uma certa LER fisgando o punho esquerdo, logo mais vestirei minha capa de super mãe, mulher independente, pessoa inteligente para encarar as feras do dia-a-dia.
Ando um pouco cansada de tanta seriedade, quero um pouco mais de leveza e tranquilidade.
Estou aqui, apenas ouvindo toques de guitarra de uma música um tanto quanto comum, mas que mexe com minhas lembranças, boas lembranças da uma época em que eu não era tão séria e tão chata, quando foi que eu cresci? Quando deixei de lado uma parte tão feliz e sonhadora, quando passei a enxergar as pessoas com lentes cinzas?
Talvez quando senti o sabor amargo de ver tanta coisa ruindo, caindo de uma só vez, só restando uma cidade inteira para ser reconstruida, tijolo por tijolo, lembrança por lembrança.
Um dia alguém conseguiu ultrapassar as muralhas que me protegem, mas as muralhas caíram, agora tenho que levantar tudo outra vez.
Por favor, não levem a mal esse texto, leve quem o escreveu para a Terra do Nunca, quero ser criança outra vez, confiar e sonhar, sem julgamentos.
Não sou uma boa escritora, sou boa em ser eu mesma, sozinha com meus pensamentos surreais ouvindo mais uma vez Crowded  House, que voz esse cantor tem, que voz. Vou parar por aqui, já me expus muito de acordo com meu código pessoal de ética para assuntos corriqueiros na internet...

 Bom e velho rock




20 comentários:

  1. Carolina, a vida exige essa seriedade, ne? Da uma saudade de como eramos mais libertas, menos estressadas, menos cheias de tantas obrigacoes. As fases vao nos fazendo, nos construindo.
    Gosto bastante dos teus posts, sempre tão verdadeiros!!
    Se cuide!

    Bjoo'o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, saudades de ser mais leve e despreocupada...
      Bj

      Excluir
  2. Boa tarde Carol.. vc já veste esta capa, tens muita força interna para ir tocando a vida..
    tem um tempo que a gente se fecha.. em outros precisamos interagir com a vida.... nem sempre ganhamos dela só coisas boas.. algumas coisas vem para darmos um passo a mais..
    somos como uma nota da escala musical.. para formar um acorde precisam estar todas afinadas... nem sempre é facil ficar afinado com tantas coisas acontecendo.. mas a gente supera.. beijos senhorita até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tempo é importante para colocar a cabeça em ordem,encaro como um descanso da pessoa que sou...
      Bj

      Excluir
  3. Nossaaaa.
    Amo essa música, e ás vezes como você, desligo o mundo e solto o som *-*

    http://passaro-de-inverno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ai, Carol! Esse texto está tão bom 💖
    Acho que esse foi o primeiro texto um tanto mais expressivo que li seu, e estou aqui, amando e próximos esperando
    (você publicou algo sobre Neil Gaiman, tenho que te falar que amo Coraline, sempre vou amar, aquilo traduziu tudo que penso sobre o autor, as vezes sinto que sou a Coraline sabe? Partilho desse sentimento!)
    Um beijo,
    Conclusoesnoturnas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei como é, eu as vezes me sinto uma personagem que escapou dos livros dele, Gaiman é genial no que faz :)
      Bj

      Excluir
  5. Ai Carolzinha é tão difícil ignorar esses ignorantes hahaha. Mas to conseguindo, graças á vocês!


    http://passaro-de-inverno.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Marina, estou sempre na torcida por vc :)

      Excluir
  6. Essa música é linda! Eu adorei seu texto e realmente eu acho que todos nós precisamos de um pouco de leveza em nossas vidas e às vezes fugir para a Terra do Nunca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda mesmo Luana, que bom que gostou do texto :)

      Excluir
  7. Bom texto, Carol! Repleto de reflexões..
    Não posso deixar de identificar-me com o trecho “quando passei a enxergar as pessoas com lentes cinzas?” De fato todos chegamos a um certo momento da vida em que deixamos de ver o mundo tão idealizado, e enxergamos com mais clareza a realidade..
    Gostei da música do post! :)

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que faz parte de crescer no sentido de amadurecimento, as lentes cinzas infelizmente são a realidade na maior parte do tempo.

      Excluir
  8. Intenso e contundente desabafo, Carol. Às vezes é mesmo preciso transbordar.

    Um abraço!

    ps.: fiz uma montagem para o clip dessa música, se puder, depois dá uma olhadinha: https://www.youtube.com/watch?v=y9RdBzwYWRA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou bem interessante a montagem que fez, gostei :)
      Um abraço o/

      Excluir
  9. Cliquei no play ao mesmo tempo que lia seu texto e seriamente, Carol, as coisas estão perdendo suas cores. Está tudo tão fraco, raso que dá até medo e insatisfação.
    Te entendo completamente!

    | A Bela, não a Fera |
    | FB Page A Bela, não a Fera|

    ResponderExcluir
  10. Chega a hora em que as pessoas inteligentes começam a ficar cansadas. Ser inteligente em um mundo de idiotas é desesperador, ser sensível é exaustivo, enxergar um pouco mais é doloroso, não é? Você se sente constantemente agredido pelos idiotas, pressionado por eles. Pelo menos você ainda tem uma capa super. Eu sou sincera demais.

    ps: te acho boa escritora sim. E como eu sou a rainha do universo, minha palavra é lei. ;) hahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, cansa, muito na verdade, costumo dizer que queria ter uma mente de pudim, bem molinha, para ser feliz com essa realidade em que vivemos, em todos os sentidos...
      Obrigada pelo elogio, me fez feliz e inflou meu ego rs :)

      Excluir